Araucária

Atendimento do CRAM é ampliado por mudança em fluxo da rede de proteção

Para agilizar seus atendimentos, o Centro de Referência de Atendimento à Mulher (CRAM) solicitou recentemente a ciência de todas as medidas protetivas deferidas na Vara Criminal da comarca de Araucária, para realizar a busca ativa de todas as mulheres em situação de violência. O objetivo é informar  sobre a existência do CRAM e quais são as atribuições do serviço (informar, orientar, encaminhar, acompanhar, articular a rede para facilitar o acesso das mulheres em seus direitos, dando celeridade às  demandas das assistidas). E o pedido deu certo, pois foi pactuado com a Vara Criminal para abrir medidas protetivas via Processo Judicial Digital. Em outubro foram 18 medidas que o CRAM tomou ciência e em novembro foram 29 (até dia 26).

“Isso afeta no sentido de ampliar o atendimento prestado às mulheres em situação de violência, amplia o conhecimento de todos os profissionais sobre as especificidades das situações e amplia o conhecimento da sociedade sobre tão grave e importante questão social”, avalia a coordenadora do CRAM, Simone Vicenti.

Segundo os técnicos do serviço, apesar de todas mulheres com medida protetiva serem orientadas sobre a existência do CRAM, nem todas aceitam acompanhamento do serviço. “Cada mulher encontra-se em um momento específico e singular, muitas não estão preparadas ainda para falar sobre a violência, e sentem-se contempladas e seguras com a Medida e o acompanhamento da Patrulha Maria da Penha, sem outras demandas a lhes afligir naquele momento, ou alguma necessidade específica, além do dispositivo da lei. Porém o importante é saberem onde recorrer caso necessitem”, explica Vicenti.

A equipe se reúne frequentemente com os órgãos da rede de atendimento à mulher,  refletindo sobre os processos de trabalho, envolvendo a Patrulha Maria da Penha, Vara Criminal, Delegacia e os demais órgãos que compõem a rede de proteção.

Atendimentos
O Centro de Referência de Atendimento à Mulher em Situação de Violência (CRAM) orienta sobre direitos, presta acolhimento e atendimento humanizado às mulheres em situação de violência, proporcionando acompanhamentos psicossociais, além de fazer encaminhamentos jurídicos necessários à superação da situação de violência, contribuindo para o fortalecimento da mulher. 

Os atendimentos podem ser agendados previamente por telefone* para organizar melhor o fluxo do serviço. Atualmente há 118 mulheres em acompanhamento constante pela equipe, em monitoramento semanal, quinzenal ou mensal, por vezes, alguns casos, acompanhamento diário devido à gravidade e complexidade da situação.

Contato atendimento CRAM
*Telefone (41) 3614-1507
O serviço atende no mesmo prédio do Centro Dia Idoso, localizado na Rua Nossa Senhora dos Remédios, 1273 – Fazenda Velha, Araucária.

Emergência/Flagrante – Disque 153
Em situações de emergência (quando a violência está acontecendo), orienta-se chamar a Guarda Municipal pelo telefone 153 para flagrante.

Receba notícias no seu WhatsApp.

Leitores que se cadastrarem no serviço serão incluídos em uma lista de transmissão diária, recebendo no celular as principais notícias do dia.

Ivone Souza - Redação

Ivone Souza é jornalista graduada pelo Centro Universitário Internacional Uninter. Foi repórter e produtora de conteúdos do Portal Mediação, redatora do site Uninter Notícias, escritora e cronista. Curte teatro, uma boa leitura e é apaixonada por viagens e fotografia.

Leia também

Deixe um comentário

Botão Voltar ao topo

Notamos que você possui um
ad-blocker ativo!

Produzir um conteúdo de qualidade exige recursos.
A publicidade é uma fonte importante de financiamento do nosso conteúdo.
Para continuar navegando, por favor desabilite seu bloqueador de anúncios.