Brasil

Bancários entram em greve a partir desta terça; agências abertas só hoje

Aqueles que precisam ir pessoalmente até uma agência bancária têm até hoje (5), às 16 horas para encontrar as portas abertas. Os bancários de Curitiba e região aderiram à campanha nacional e aprovaram greve por tempo indeterminado. A proposta da Federação Nacional dos Bancos (Fenaban) de reajuste de 6,5%, abaixo da inflação do período, foi rejeitada pelos bancários, já que o valor traria perdas de 2,8% nos salários, segundo a categoria. Apenas os caixas eletrônicos ficarão disponíveis para movimentações bancárias – caixas em agências, centrais de atendimento telefônico e setor administrativo estarão em greve.

A decisão para a paralisação, segundo o Sindicato dos Bancários, além do reajuste, foi a limitação de um acordo da entidade patronal que previa somente cláusulas econômicas, com uma oferta de abono de R$ 3 mil, diante de uma extensa pauta de saúde, condições de trabalho, segurança e emprego, que foi ignorada. A assembleia de deflagração de greve foi realizada na noite desta quinta-feira, 01 de setembro, no Espaço Cultural dos Bancários.
A proposta da Fenaban foi apresentada no dia 29 e oferece aos bancários reajuste de 6,5% no salário e nos auxílios refeição, alimentação, creche, e abono de R$ 3 mil, além de participação nos lucros e resultados (PLR). Segundo a Contraf, a proposta da entidade patronal não cobre a inflação do período, projetada em 9,57% para agosto deste ano, e representa perdas de 2,8% para a categoria.
Segundo o categoria, Itaú, Bradesco, Banco do Brasil, Santander e Caixa, juntos, lucraram quase R$ 30 bilhões no primeiro semestre de 2016. Essas mesmas instituições, de janeiro a julho, fecharam mais de 7.800 postos de trabalho. “Com isso, bancários permanecem sobrecarregados de trabalho nas agências e departamentos, tendo que cumprir metas abusivas sob pressão e assédio moral. Clientes continuam tendo que pagar tarifas altas e juros extorsivos, além de contar com atendimento precário”, descreve a contrapartida dos bancários.
Entre as principais reivindicações da categoria estão reajuste salarial de 14,78%, sendo 5% de aumento real e 9,31% de correção da inflação; participação nos lucros e resultados de três salários mais R$ 8.297,61; piso salarial de R$ 3.940,24; vales-alimentação, refeição, décima-terceira cesta e auxílio-creche/babá no valor do salário-mínimo nacional (R$ 880); 14º salário; fim das metas abusivas e assédio moral; fim das demissões, ampliação das contratações, combate às terceirizações e à precarização das condições de trabalho; mais segurança nas agências bancárias e auxílio-educação.
BandaB

Receba notícias no seu WhatsApp.

Leitores que se cadastrarem no serviço serão incluídos em uma lista de transmissão diária, recebendo no celular as principais notícias do dia.

Aécio Novitski

Idealizador do Site Araucária no Ar, Jornalista (MTB 0009108-PR), Repórter Cinematográfico e Fotógrafico licenciado pelo Sindijor e Fenaj sobre o número 009108 TRT-PR

Leia também

Deixe um comentário

Botão Voltar ao topo

Notamos que você possui um
ad-blocker ativo!

Produzir um conteúdo de qualidade exige recursos.
A publicidade é uma fonte importante de financiamento do nosso conteúdo.
Para continuar navegando, por favor desabilite seu bloqueador de anúncios.