Paraná

Confirmada a primeira morte por dengue em Curitiba

A confirmação da primeira morte por dengue em Curitiba – e a sexta do Paraná – em 2016 acendeu o sinal de alerta para as autoridades de saúde. Segundo a Secretaria Municipal da Saúde, trata-se de um paciente de 65 anos, que estava internado no Hospital São Vicente e morreu na madrugada da última terça-feira, vítima de dengue hemorrágica, a forma mais grave da doença. Ele havia visitado recentemente várias regiões com alta incidência da doença.

A vítima apresentou os primeiros sintomas da doença ao voltar de uma viagem a Foz do Iguaçu e ao Paraguai, onde a dengue é endêmica. Também havia estado nos últimos dias em áreas de elevadas taxas de propagação do vírus, como o litoral do Paraná e alguns municípios de Santa Catarina.
Conforme o secretário municipal da Saúde, César Monte Serrat Titton, desde a semana passada, devido ao aumento expressivo de pessoas doentes chegando à capital, a prefeitura reforçou medidas para acelerar o fluxo de informações entre os órgãos que combatem as doenças provocadas pelo mosquito Aedes aegypti, como a dengue, zika e chikungunya. Para monitorar os trabalhos de todas as secretarias, foi montada uma sala de comando central contra o Aedes. Hoje haverá uma reunião com participação das Forças Armadas para planejar novas ações.
“Há muito mais pessoas saindo viajar e voltando com o vírus, o que é um importante sinal de alerta”, destacou Titton. Só em janeiro, a capital registrou 106 casos confirmados de dengue (todos importados) – contra dez no mesmo período de 2015. “O maior surto de dengue no Brasil foi em 2013, quando não registramos situações graves. Esse novo surto se configura por ser um surto maior em quantidade e muito mais próximo dos curitibanos”, definiu Titton. Na última sexta-feira, a prefeitura confirmou o primeiro caso de zika vírus na capital este ano.

Paraná tem 25 casos de zika

Subiu para 4.806 o total de casos de dengue no Paraná, conforme o novo boletim divulgado ontem pela Secretaria Estadual da Saúde (Sesa). Destes, 586 são importados de outras localidades. Já há casos confirmados da doença em 182 municípios. O número de cidades com epidemia passou de 11 para 14. O mais próximo de Curitiba é Paranaguá, no litoral. Além das seis mortes confirmadas, a Sesa investiga nove óbitos que podem ter sido causados por dengue.

De acordo com o novo informe técnico, o Estado já tem 25 registros de zika vírus (dos quais três contraídos no próprio município) e onze de chikungunya (só um autóctone, em Mandaguari). O aumento das confirmações é resultado dos novos testes utilizados desde o início de fevereiro pelo Laboratório Central do Estado (Lacen-PR). Até ontem já foram feitos 980 testes com a tecnologia Multiplex, que faz o diagnóstico simultâneo de dengue, zika e chikungunya.

 

PrOn

Receba notícias no seu WhatsApp.

Leitores que se cadastrarem no serviço serão incluídos em uma lista de transmissão diária, recebendo no celular as principais notícias do dia.

Aécio Novitski

Idealizador do Site Araucária no Ar, Jornalista (MTB 0009108-PR), Repórter Cinematográfico e Fotógrafico licenciado pelo Sindijor e Fenaj sobre o número 009108 TRT-PR

Leia também

Deixe um comentário

Botão Voltar ao topo

Notamos que você possui um
ad-blocker ativo!

Produzir um conteúdo de qualidade exige recursos.
A publicidade é uma fonte importante de financiamento do nosso conteúdo.
Para continuar navegando, por favor desabilite seu bloqueador de anúncios.