ParanáPolícia

Ex-governador Beto Richa tem a terceira prisão preventiva decretada nesta manhã

O ex-governador do Paraná Beto Richa (PSDB) deve ser preso, pela terceira vez, nesta manhã desta terça-feira, 19, pelo Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco) em Curitiba. A prisão é preventiva, ou seja, por tempo indeterminado. A suspeita contra Beto Richa é de corrupção.

O empresário Jorge Atherino, apontado pelo MP como operador financeiro de Beto Richa, e Ezequias Moreira, ex-secretário especial de Cerimonial e Relações Exteriores do Paraná, também foram presos.

A prisão é resultado de um desdobramento da Operação Quadro Negro, de acordo com o coordenador do Gaeco, Leonir Batisti. O salvo conduto do ministro Gilmar Mendes no âmbito da operação Lava Jato, no desdobramento da Operação Integração. Portanto, a decisão não tem relação com essa operação Quadro Negro, que investiga indícios de desvios de dinheiro na construção de diversas escolas estaduais. Segundo as investigações, a Construtora Valor recebeu cerca de R$ 20 milhões pelos contratos firmados com o poder público, mas não entregou as obras.

Em delação, o ex-diretor da Secretaria de Educação, Maurício Fanini, afirmou que o dinheiro de proprina pago pelo esquema abasteceu as campanhas de Beto Richa para a Prefeitura de Curitiba e para o Governo do Paraná, entre 2002 e 2015.

Bem Paraná

Receba notícias no seu WhatsApp.

Leitores que se cadastrarem no serviço serão incluídos em uma lista de transmissão diária, recebendo no celular as principais notícias do dia.

Leia também

Deixe um comentário

Botão Voltar ao topo

Notamos que você possui um
ad-blocker ativo!

Produzir um conteúdo de qualidade exige recursos.
A publicidade é uma fonte importante de financiamento do nosso conteúdo.
Para continuar navegando, por favor desabilite seu bloqueador de anúncios.