Brasil

Fabricantes de chocolates apostam em vendas 20% maiores nesta Páscoa de 2018

A Páscoa chega mais cedo em 2018, no dia 1º de abril, e vem com a expectativa de crescimento na produção e nas vendas de 5% a 20% entre os fabricantes de chocolates, segundo dados da Associação Brasileira da Indústria de Chocolates, Cacau, Amendoim, Balas e Derivados (Abicab). A entidade realizou, no final de janeiro, o Salão de Páscoa Abicab 2018, em que os fabricantes presentes se mostraram otimistas, com 120 lançamentos (mesmo número que no ano anterior).

“Esperamos que haja recuperação. A expectativa é boa, as empresas preveem uma melhora do mercado, porque os preços estão estáveis, já que a inflação foi reduzida. A aposta é nas novidades e brindes para atrair o consumidor”, diz o presidente do Sincabima – Sindicato das Indústrias de Cacau e Balas, Massas Alimenticias, Biscoitos de Doces e Conservas Alimenticias do Paraná, Rommel Barion.

A Lacta, da Mondeléz Brasil, vem com dez lançamentos esse ano, sete a mais que em 2017, com inovações na linha infantil (interações via aplicativos), os Mini Ovinhos Hora de Aventura e lançamentos em tripla camada para a linha adulta, em latas presenteáveis (Oreo, Diamante Negro com Laka e o retorno do Ouro Branco, que ficou fora das prateleiras ano passado).

A expectativa de vendas da empresa é boa, segundo o gerente de Marketing de Chocolates Sazonais Mondeléz Brasil, Ricardo Reis, uma vez que já há crescimento de mercado durante a Páscoa. “O fim de ano é um bom indicador de recuperação da economia e reflete um momento melhor para a Páscoa. Em 2017, apesar da crise, também tivemos bom resultado, conquistamos 4,1 pontos percentuais de share”, comenta o gerente.

A indústria parananese Barion também teve incrementos em seu projeto de produção de Páscoa, que envolve investimentos em embalagens, mão de obra,  novos produtos e canais de distribuição, com uma expectativa de crescimento de 10% no volume de vendas e a fabricação de mais de 600 mil unidades de produtos. Dentre os lançamentos estão itens como o Ovo Tubetes* Paçoca, Ovo Crocante, ovos infantis com novos brindes e coelhinhos de chocolate que terão parte do lucro das vendas revertido para o Hospital Pequeno Príncipe.

Uma novidade é a nova linha da empresa destinada a transformadores. “São cascas de ovos, que vendemos na nossa loja da fábrica, no nosso televendas ou por meio de distribuidores e lojas especializadas, para atender o público que faz produtos para revender em pequenas lojas ou no mercado informal”, explica a gerente de Marketing da empresa, Fernanda Barion. Segundo ela, a procura superou as expectativas: “a fabricação das cascas vai precisar ser ampliada, porque tudo que produzimos já foi vendido”, comemora.

A indústria também é responsável pela produção para grupos de varejo e franquias. “Nós trabalhamos durante esse período de forma diferenciada. Nossos canais de venda são a nossa loja de fábrica (onde esperamos receber mais de 11 mil pessoas); a venda direta nas empresas, com exposições e feiras a preço de fábrica, e a produção terceirizada”, detalha.

Em 2017, o Brasil produziu 9 mil toneladas de chocolate e 36 milhões de ovos para a data comemorativa, volume 38% menor que o de 2016. A queda na produção dos últimos três anos já acumula 50%. No entanto, o consumo de chocolates cresceu 8% no primeiro semestre de 2017 em relação ao mesmo período de 2016, enquanto a produção se manteve estável e seguiu constante no semestre seguinte, terminando o ano com leve crescimento.

Receba notícias no seu WhatsApp.

Leitores que se cadastrarem no serviço serão incluídos em uma lista de transmissão diária, recebendo no celular as principais notícias do dia.

Aécio Novitski

Idealizador do Site Araucária no Ar, Jornalista (MTB 0009108-PR), Repórter Cinematográfico e Fotógrafico licenciado pelo Sindijor e Fenaj sobre o número 009108 TRT-PR

Leia também

Deixe um comentário

Botão Voltar ao topo

Notamos que você possui um
ad-blocker ativo!

Produzir um conteúdo de qualidade exige recursos.
A publicidade é uma fonte importante de financiamento do nosso conteúdo.
Para continuar navegando, por favor desabilite seu bloqueador de anúncios.