Paraná

Mortes por afogamento sobem 125% no Paraná

Os dias de calor da temporada de verão estão sendo repletos de tragédias pelo Paraná. Segundo informações do Sistema de Registro e Estatística de Ocorrências (SYSBM) do Corpo de Bombeiros, o número de mortes por afogamento disparou em 2017-2018, com crescimento de 125% na comparação com a temporada anterior.
Até ontem haviam sido registrados 821 ocorrências em todo o Estado com 36 mortes. Já no verão anterior, o número de ocorrências até foi maior, com 974, mas o total de mortes entre os dias 20 de dezembro e 6 de fevereiro eram bem mais baixos, com 16. A maior parte dos atendimentos (94,6% ou 777) ocorreram no litoral paranaense, que registrou ainda três mortes.
Com a proximidade das festas carnavalescas, torna-se ainda mais importante o alerta à população. É que tais ocorrências costumam estar relacionadas à ingestão de bebida alcoólica antes do banho de mar, o que faz com que os banhistas não percebam os riscos e acabem se sujeitando ao perigo. Nas praias, o problema ainda é minimizado pela presença de salva-vidas. Mas em outros lugares, como rios e lagoas, é essencial a prudência do indivíduo.
“Resgate de pessoa bêbada é o que mais tem. O cara bebe e aí já vira nadador, vira tudo. É sempre o carro-chefe das ocorrências, ao lado da retirada de material flutuante da água”, afirma o cabo Manosso, que atua em Guaratuba. Ainda segundo o militar, no litoral paranaense a maioria das ocorrências envolvem moradores da Região Metropolitana de Curitiba (RMC).

Cavas concentram os casos mais graves da temporada

Se a maior parte das ocorrências neste verão foram registradas no litoral do Paraná, por outro lado a maioria dos casos graves ocorrem em cavas (que existem aos montes na RMC), vitimando principalmente homens com idade entre 16 e 23 anos. Nadar nesses lugares pode ser perigoso, já que não há como saber qual é o relevo do local escolhido para banho além de poder haver buracos, galhos, limo ou outros obstáculos que dificultam ou impedem a saída da água. Por isso, o recomendado para a prática de atividades aquáticas é que as pessoas procurem locais com guarda-vidas. Já caso  veja alguém se afogando, o cidadão não deve entrar na água para tentar ajudar, pois pode se tornar mais uma vítima.

Segurança no mar será reforçada no Carnaval com mais guarda-vidas

As ações do Corpo de Bombeiros no Litoral do Estado serão reforçadas durante o Carnaval, principalmente quanto à segurança dos banhistas. Além dos 89 postos guarda-vidas e dos 660 bombeiros militares que já atuam no Verão Paraná 2017/2018 desde dezembro, haverá mais 21 guarda-vidas militares trabalhado durante o dia, além de viaturas de patrulhamento à noite nas avenidas da orla com guarda-vidas para casos emergenciais que ocorram entre os postos. Nesta sexta-feira chegam ao Litoral mais seis viaturas para o reforço. O Corpo de Bombeiros também conta com 34 guarda-vidas civis para auxiliar nas atividades de prevenção aos perigos na água.

Receba notícias no seu WhatsApp.

Leitores que se cadastrarem no serviço serão incluídos em uma lista de transmissão diária, recebendo no celular as principais notícias do dia.

Aécio Novitski

Idealizador do Site Araucária no Ar, Jornalista (MTB 0009108-PR), Repórter Cinematográfico e Fotógrafico licenciado pelo Sindijor e Fenaj sobre o número 009108 TRT-PR

Leia também

Deixe um comentário

Botão Voltar ao topo

Notamos que você possui um
ad-blocker ativo!

Produzir um conteúdo de qualidade exige recursos.
A publicidade é uma fonte importante de financiamento do nosso conteúdo.
Para continuar navegando, por favor desabilite seu bloqueador de anúncios.