Paraná

Paraná é o segundo estado com maior número de doações de órgãos

Com informações da AEN

A doação de órgãos é importante para diminuir a fila de espera por transplantes. Dados do Sistema Estadual de Transplantes, mostram que, no Paraná, de janeiro a maio deste ano houve 197 doações de órgãos no Paraná, que resultaram em 322 transplantes de órgãos e 368 de córnea. Rim e fígado lideram o ranking de órgãos transplantados no estado, com 195 e 103 transplantes, respectivamente.

“Estamos constantemente trabalhando para fazer com que os números de doações de órgãos e transplantes continuem aumentando. O Paraná é segundo estado com maior número de doações efetivas de órgãos no País. Iniciativas como esta têm como objetivo diminuir ao máximo o tempo que um paciente passa na fila de espera para receber um órgão”, afirmou o secretário de estado da Saúde, Michele Caputo Neto.

Para a diretora Do Sistema Estadual de Transplantes, Arlene Badoch, uma das preocupações é identificar de maneira correta se o paciente sofreu morte encefálica. “É o primeiro passo para analisarmos se ele é, ou não, um possível doador de órgãos. É extremamente importante que médicos e demais profissionais da saúde tenham em mente que este cuidado pode ajudar a salvar muitas vidas”, esclareceu a diretora.

Exames

Para que seja declarada a morte encefálica de um paciente, é preciso que sejam seguidas três etapas: dois testes clínicos; um teste de apneia; um exame complementar confirmatório da morte encefálica. Destes dois exames, um deles obrigatoriamente tem que ser feito por um neurologista, neuropediatra ou neurocirurgião.

Para o neurocirurgião César Vinicius Grande, a adesão dos profissionais a esta etapa do processo é extremamente importante e fundamental para que a equipe tenha segurança no diagnóstico.

“É muito importante que os profissionais da neurologia realizem este exame, especialmente em hospitais com várias especialidades e pronto-socorros, onde a demanda é maior. Em nossa equipe realizamos uma média de dois a cinco exames como estes ao mês”, disse o neurocirurgião.

 

Uso da tecnologia

O Sistema Estadual de Transplantes do Paraná, criou uma série de vídeos para serem divulgados nas redes sociais, que ajudam os profissionais da área de saúde a identificarem de maneira adequada a morte encefálica em pacientes.

A iniciativa dá continuidade às ações feitas pelo Estado para incentivar a doação de órgãos e diminuir a fila de espera de transplantes. Dentre as quais estão, também, cursos presenciais e online para as Comissões Intra-hospitalares de Doações de Órgãos e Tecidos para Transplante.

Pacientes que tenham sido diagnosticados com morte encefálica se tornam potencias doadores de órgãos e tecidos. Já os que sofreram parada cardiorrespiratória podem doar tecidos (córneas, pele, válvulas cardíacas e ossos).

Receba notícias no seu WhatsApp.

Leitores que se cadastrarem no serviço serão incluídos em uma lista de transmissão diária, recebendo no celular as principais notícias do dia.

Aécio Novitski

Idealizador do Site Araucária no Ar, Jornalista (MTB 0009108-PR), Repórter Cinematográfico e Fotógrafico licenciado pelo Sindijor e Fenaj sobre o número 009108 TRT-PR

Leia também

Deixe um comentário

Botão Voltar ao topo

Notamos que você possui um
ad-blocker ativo!

Produzir um conteúdo de qualidade exige recursos.
A publicidade é uma fonte importante de financiamento do nosso conteúdo.
Para continuar navegando, por favor desabilite seu bloqueador de anúncios.