Paraná

Paraná tem maior crescimento do País no setor de serviços

O setor de serviços aumentou em 4% suas vendas de janeiro a julho no Paraná na comparação com o mesmo período do ano passado. Enquanto o setor ainda patina no País, com retração de 4% no período, no Estado o segmento já está em recuperação.

Somente em julho os serviços do Paraná tiveram alta de 7% em relação ao mesmo mês do ano passado. Foi o maior crescimento do País, de acordo com dados da Pesquisa Mensal de Serviços (PME) do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), divulgada na quarta-feira (13). O Paraná ficou à frente, em julho, do Amazonas (5,6%) e Mato Grosso (5,3%).

Para o secretário do Planejamento e Coordenação Geral, Juraci Barbosa Sobrinho, a retomada do setor de serviços é resultado da estratégia do governo estadual para o desenvolvimento econômico do Paraná. De acordo com ele, programas e ações do governo contribuem para estimular a economia, a geração de empregos e de renda. “De um lado temos o Paraná Competitivo, programa de incentivos que já atraiu R$ 43 bilhões em investimentos, o que ajuda a movimentar a economia. De outro temos o ajuste fiscal, que permitiu reajustar salários e manter em dia o pagamento do funcionalismo, além da atuação do BRDE e da Fomento Paraná em financiar obras de infraestrutura em todos os municípios e projetos do setor privado, com destaque para as cooperativas”, disse.

A redução da taxa de desemprego e o aumento da geração de vagas com carteira assinada também têm contribuído. “A melhora no mercado de trabalho impulsiona a renda e o consumo, e ajuda a movimentar as vendas dos serviços”, explica Julio Suzuki Júnior, diretor- presidente do Instituto Paranaense de Desenvolvimento Econômico Social (Ipardes), ligado à Secretaria de Planejamento e Coordenação Geral. A taxa de desocupação no Paraná caiu de 10,3% para 8,9% entre o primeiro e o segundo trimestre do ano, de acordo com o IBGE. Entre janeiro e julho desse ano, o Estado gerou 24 mil novas vagas com carteira assinada.

FAMÍLIAS – O setor de serviços representa de 40% a 45% da economia do Estado. De acordo com Suzuki Júnior, a demanda doméstica vem reagindo, o que ajuda a explicar, por exemplo, o crescimento, de 13% no primeiro semestre, nos serviços prestados às famílias. “O que se observa é o avanço das vendas de serviços como em restaurantes e hotéis”, diz.

Impulsionados pela boa safra agrícola, serviços de transportes, serviços auxiliares dos transportes e correios tiveram alta de 12,8% de janeiro a julho na comparação com mesmo período do ano passado.

Serviços profissionais, administrativos e complementares – como contadores, advogados e arquitetos, dentre outros – tiveram avanço de 4,2%. As atividades prestadoras de informação e comunicação, por sua vez, tiveram queda de 4,6%.

Receba notícias no seu WhatsApp.

Leitores que se cadastrarem no serviço serão incluídos em uma lista de transmissão diária, recebendo no celular as principais notícias do dia.

Aécio Novitski

Idealizador do Site Araucária no Ar, Jornalista (MTB 0009108-PR), Repórter Cinematográfico e Fotógrafico licenciado pelo Sindijor e Fenaj sobre o número 009108 TRT-PR

Leia também

Botão Voltar ao topo

Notamos que você possui um
ad-blocker ativo!

Produzir um conteúdo de qualidade exige recursos.
A publicidade é uma fonte importante de financiamento do nosso conteúdo.
Para continuar navegando, por favor desabilite seu bloqueador de anúncios.