Redação

Passagens aéreas disparam 123,26% e lideram inflação em 12 meses

Os preços das passagens aéreas estão nas alturas. No acumulado de 12 meses até junho, os bilhetes acumularam inflação prévia de 123,26% no Brasil.

É a alta mais intensa entre 367 subitens que compõem o IPCA-15 (Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo 15).

Até junho, o IPCA-15 acumulou avanço de 12,04% em termos gerais, segundo dados divulgados nesta sexta-feira (24) pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística).

A disparada das passagens aéreas vem em um contexto de maior demanda por viagens, após as restrições causadas pela pandemia, e aumento do combustível usado na aviação, o que pressiona os custos das companhias aéreas.

No recorte mensal, os bilhetes subiram 11,36% em junho, após variação ainda mais intensa em maio (18,40%), conforme o IPCA-15.

Em 12 meses até junho, a segunda maior escalada dos preços é a da abobrinha: 101%. O avanço era de 81,10% até maio.

Na largada deste ano, frutas, legumes e hortaliças subiram no Brasil com o impacto do clima adverso.

Os registros de seca no Sul e de chuvas fortes em regiões como o Sudeste e o Nordeste abalaram as plantações, com impacto sobre a oferta e os preços finais.

Alguns alimentos atingidos começam a dar sinais de desaceleração, mas continuam com altas expressivas.

É o caso da cenoura. No acumulado, o avanço passou de 146,31% até maio para 99,55% até junho.
Apesar da trégua, a cenoura é o subitem com a terceira maior alta de preços nos últimos 12 meses.
O pepino está no quarto lugar do ranking. A alta foi de 84,03% no acumulado até junho. A subida era de 45,79% até maio.

A batata-inglesa vem na sequência, com elevação de 65,93% até junho. A variação era de 64,74% até o mês anterior.

A seguir, veja os 15 subitens que acumularam as maiores variações em 12 meses, segundo o IPCA-15.

IPCA-15 E IPCA

O índice oficial de inflação no Brasil é o IPCA (Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo), também calculado pelo IBGE.

Como a variação do IPCA é calculada ao longo do mês de referência, o dado de junho ainda não está fechado. Será conhecido no dia 8 de julho.

O IPCA-15, pelo fato de ser divulgado antes, sinaliza uma tendência para os preços. O indicador prévio costuma ser calculado entre a segunda metade do mês anterior e a primeira do mês de referência da divulgação.

Neste caso, os preços foram coletados entre 14 de maio e 13 de junho. Isso significa que o novo resultado ainda não capta os reflexos do reajuste da gasolina e do óleo diesel anunciado pela Petrobras em 17 de junho.

Banda B

Receba notícias no seu WhatsApp.

Leitores que se cadastrarem no serviço serão incluídos em uma lista de transmissão diária, recebendo no celular as principais notícias do dia.

Leia também

Deixe um comentário

Botão Voltar ao topo

Notamos que você possui um
ad-blocker ativo!

Produzir um conteúdo de qualidade exige recursos.
A publicidade é uma fonte importante de financiamento do nosso conteúdo.
Para continuar navegando, por favor desabilite seu bloqueador de anúncios.