Brasil

PF resgata seis homens escravos; eles trabalhavam 10 horas por dia e recebiam marmita azeda

estadao_conteudo_cor-13-6-5

 

 

A Polícia Federal resgatou nesta quarta-feira, 31, seis trabalhadores que eram mantidos em condições análogas à escravidão em uma fazenda no município de Tapurah, no Mato Grosso, distante 414 quilômetros da capital Cuiabá. Denúncias anônimas apontaram à Polícia Federal que os homens não possuíam carteira de trabalho assinada e eram obrigados a trabalhar diariamente entre 4 horas às 18 horas, durante todos os dias da semana, sem direito a folgas.

Além da jornada exaustiva, os trabalhadores eram sujeitos a condições degradantes de trabalho, dormindo em alojamentos de madeira e terra batida, local onde também era estocado combustível.

As informações ainda apontaram que os homens recebiam marmitas frequentemente com comida azeda, tendo que ser consumidas no meio da mata.

A Polícia Federal também identificou que não havia regularidade no pagamento dos salários e que os trabalhadores teriam recebido apenas R$ 200 nos últimos 40 dias trabalhados. Segundo eles, o empregador não pagava o valor devido como forma de obrigá-los a continuarem no serviço.

O proprietário da área e o responsável pela contratação foram identificados e poderão ser indiciados pelo crime de redução à condição análoga de escravo, com pena de reclusão de dois a oito anos. Além disso, a fazenda poderá ser expropriada.

Os trabalhadores foram levados a Tapurah e encaminhados ao advogado do empregador para a realização dos registros e acertos trabalhistas devidos.

Receba notícias no seu WhatsApp.

Leitores que se cadastrarem no serviço serão incluídos em uma lista de transmissão diária, recebendo no celular as principais notícias do dia.

Aécio Novitski

Idealizador do Site Araucária no Ar, Jornalista (MTB 0009108-PR), Repórter Cinematográfico e Fotógrafico licenciado pelo Sindijor e Fenaj sobre o número 009108 TRT-PR

Leia também

Deixe um comentário

Botão Voltar ao topo

Notamos que você possui um
ad-blocker ativo!

Produzir um conteúdo de qualidade exige recursos.
A publicidade é uma fonte importante de financiamento do nosso conteúdo.
Para continuar navegando, por favor desabilite seu bloqueador de anúncios.