ParanáPolícia

Policial é preso com carro roubado, armas e colete à prova de balas

Eleozir José da Silva, de 29 anos, policial militar que pertencia ao Batalhão de Operações Policiais Especiais (Bope), foi preso na madrugada desta quinta-feira (9) por uma equipe da Polícia Rodoviária Federal (PRF). A prisão aconteceu em Campina Grande do Sul, Região Metropolitana de Curitiba (RMC).

As informações são de que o policial estava com outros três homens em um Prisma branco. O veículo tinha alerta de furto e, ao passar pela PRF, ainda na noite de quarta-feira (9), no quilômetro 56 da BR-116, o motorista não acatou a voz de abordagem.

O carro foi acompanhado por uma equipe da PRF. “No caminho, eles descartaram alguns objetos pela janela, até que próximo a um posto eles pararam o veículo, todos desceram e entraram num matagal”, contou o delegado João Marcelo Renk Chagas.

Enquanto os policiais averiguavam as informações do veículo abandonado e descobriram que as placas eram trocadas para esconder a informação do alerta, outra equipe foi em busca dos suspeitos e Eleozir foi encontrado, já na madrugada, a 500 metros do posto, próximo a represa do Capivari. “Ele não soube explicar o que fazia ali, nem o motivo de estar molhado e sujo. Os policiais desconfiaram e ele acabou preso”, explicou o delegado.

Com o policial, a PRF encontrou um rádio comunicador da polícia, chamado de HT, e um colete balístico da Polícia Militar. “Os policiais descobriram ainda que os objetos dispensados pelos ocupantes do veiculo eram, na verdade, duas armas, que também foram apreendidas”.

O PM foi encaminhado à Delegacia de Campina Grande do Sul, com o carro roubado, uma pistola 9 milímetros com numeração raspada, um revólver calibre 38 com um adaptador e munições, o HT e o colete à prova de balas. Ele foi autuado em flagrante por receptação do veículo, porte de arma de fogo de uso restrito e porte de arma de fogo de uso permitido, conforme informou o delegado.

O policial passou por exame de lesão corporal, como de praxe em situações de prisão, e foi conduzido ao Batalhão de Polícia de Guarda (BPGd), em Piraquara, onde ficará detido. A reportagem da Tribuna do Paraná apurou que ele está na corporação desde novembro de 2011, mas estava afastado das funções.

Segundo o tenente-coronel Hudson, comandante do Bope, Eleozir esteve preso de dezembro de 2014 a dezembro de 2015, suspeito de homicídio e teria sido absolvido pelo Tribunal do Júri. “Ele saiu há pouco tempo da prisão, mas não estava trabalhando por problemas de saúde. Tinha um atestado psiquiátrico e nem chegou a voltar às funções”.

Ainda de acordo com o tenente-coronel, Eleozir responde a conselho disciplinar, pela acusação em que foi julgado. “O que nós queremos deixar claro, é que a conduta dele não representa a Polícia Militar, muito menos o Batalhão de Operações Policiais”, disse Hudson. Eleozir pode ser expulso da corporação.

Paraná Online

Receba notícias no seu WhatsApp.

Leitores que se cadastrarem no serviço serão incluídos em uma lista de transmissão diária, recebendo no celular as principais notícias do dia.

Aécio Novitski

Idealizador do Site Araucária no Ar, Jornalista (MTB 0009108-PR), Repórter Cinematográfico e Fotógrafico licenciado pelo Sindijor e Fenaj sobre o número 009108 TRT-PR

Leia também

Deixe um comentário

Botão Voltar ao topo

Notamos que você possui um
ad-blocker ativo!

Produzir um conteúdo de qualidade exige recursos.
A publicidade é uma fonte importante de financiamento do nosso conteúdo.
Para continuar navegando, por favor desabilite seu bloqueador de anúncios.