AraucáriaPolícia

PRF retém dois ônibus clandestinos com trabalhadores estrangeiros em Araucária

A Polícia Rodoviária Federal (PRF) abordou dois ônibus clandestinos que transportavam um total de 41 passageiros –a maioria de nacionalidade estrangeira– na manhã desta segunda-feira (22) em Araucária, na região metropolitana de Curitiba.

Os dois ônibus, que transitavam pela BR-476, não tinham autorização de viagem, documento obrigatório expedido pela ANTT (Agência Nacional de Transportes Terrestres). Um dos veículos também não possuía seguro de responsabilidade civil.

Do total de 41 passageiros, apenas quatro são nascidos no Brasil. Os demais apresentaram documentos de outros sete países: Bangladesh, Bolívia, Egito, Haiti, Paquistão, Senegal e Peru. Os ônibus saíram de Lagoa dos Três Cantos (RS) e tinham São Paulo (SP) como destino.

Aos policiais rodoviários federais, os integrantes do grupo declararam trabalhar como camelôs, vendendo roupas. Eles costumam sair da capital paulista com as mercadorias, e montam as barracas para vendê-las na rua, nas cidades de destino.

As condições de higiene dos veículos eram precárias. Os passageiros não tinham acesso ao banheiro durante a viagem. Mercadorias bloqueavam os corredores. Outras irregularidades detectadas pela PRF: ausência de inspeção veicular, tacógrafo com defeito e excesso de peso.

Após a verificação dos documentos de cada passageiro, a PRF encaminharia os ônibus até a Estação Rodoferroviária de Curitiba, onde seria feito o transbordo.  Na sequência, os ônibus irregulares permanecerão retidos por pelo menos 72 horas no pátio da ANTT, em Fazenda Rio Grande.

 

PRF

Receba notícias no seu WhatsApp.

Leitores que se cadastrarem no serviço serão incluídos em uma lista de transmissão diária, recebendo no celular as principais notícias do dia.

Aécio Novitski

Idealizador do Site Araucária no Ar, Jornalista (MTB 0009108-PR), Repórter Cinematográfico e Fotógrafico licenciado pelo Sindijor e Fenaj sobre o número 009108 TRT-PR

Leia também

Deixe um comentário

Botão Voltar ao topo

Notamos que você possui um
ad-blocker ativo!

Produzir um conteúdo de qualidade exige recursos.
A publicidade é uma fonte importante de financiamento do nosso conteúdo.
Para continuar navegando, por favor desabilite seu bloqueador de anúncios.