Brasil

Professor diz que observar superlua será exercício de paciência, mas que valerá a pena

A maior superlua dos últimos 70 anos é esperada com ansiedade em todo o mundo. Ela já deu o ar da graça em países como Turquia, Austrália e Índia. Em Curitiba, por sua vez, a nebulosidade presente desde sábado (12) deixa os curiosos um tanto quanto preocupados, porém algumas brechas no céu devem acontecer durante a noite, segundo previsão do Instituto Tecnológico Simepar.

superlua

(Foto: Divulgação EBC)

Para o professor Anísio Lasievicz, do Parque da Ciência, localizado em Pinhais, região metropolitana de Curitiba, a observação será um exercício de paciência.

“O cenário não é dos melhores, por conta da umidade. Mas poderia ser pior, se fosse ontem, por exemplo. Acredito que teremos alguns minutos que nos permitam observar a super lua, mas será um exercício de paciência”, disse o professor.

No Parque da Ciência, haverá uma equipe de plantão para quem quiser observar a superlua. “Serão cinco telescópios, a partir das 19h30, todos apontados para a lua e também outros objetos. Saturno, Mater e Vênus também estarão visíveis à população”, destacou.

Quem quiser mais informações sobre o evento para a chegada da superlua clique aqui. 

Superlua

A superlua não será no momento do perigeu, que ocorrerá às 9h21 (horário de Brasília). O fenômeno por definição ocorre no momento da lua cheia, que será às 11h54 – nesta hora, o satélite estará a 363.338 km da Terra.

Com exceção do eclipse da Superlua de 2015, não houve nem haverá por muito tempo uma lua cheia tão especial, mesmo que curiosamente tenhamos tido três Superluas consecutivas em três meses, a anterior ocorreu em 16 de outubro e a última será no dia 14 de dezembro.

A lua não chegava tão perto assim da Terra desde 1948 e não voltará a fazê-lo até 2034Arquivo Agência Brasil
Como ocorre

Como em qualquer outra lua cheia, o corpo celeste parece maior e mais brilhante quando aparece no horizonte. E o mesmo ocorre com as superluas. Ainda que elas apareçam 14% maiores e 30% mais luminosas que as luas cheias comuns, são mais surpreendentes quando estão na linha do horizonte e não altas, no céu.

Isso acontece porque a órbita da lua não é um círculo perfeito, então em alguns pontos de sua órbita ela parece estar mais próxima do planeta Terra. “Quando a lua está em seu ponto mais distante isso é conhecido como apogeu e quando está mais perto é chamado de perigeu”, explica o cientista da Nasa Noah Petro.

No perigeu, a lua está cerca de 48 mil quilômetros mais perto da Terra do que no apogeu. Essa proximidade faz com que a lua pareça 14% maior e 30% mais brilhante do que uma lua cheia do apogeu. Por isso, a lua cheia do perigeu ficou conhecida como superlua.

 

BandaB

Receba notícias no seu WhatsApp.

Leitores que se cadastrarem no serviço serão incluídos em uma lista de transmissão diária, recebendo no celular as principais notícias do dia.

Aécio Novitski

Idealizador do Site Araucária no Ar, Jornalista (MTB 0009108-PR), Repórter Cinematográfico e Fotógrafico licenciado pelo Sindijor e Fenaj sobre o número 009108 TRT-PR

Leia também

Botão Voltar ao topo

Notamos que você possui um
ad-blocker ativo!

Produzir um conteúdo de qualidade exige recursos.
A publicidade é uma fonte importante de financiamento do nosso conteúdo.
Para continuar navegando, por favor desabilite seu bloqueador de anúncios.