Paraná

Protesto de comerciantes promove quebradeira na Ceasa; BR-116 é liberada sentido Curitiba

Um protesto de comerciantes que compram frutas e verduras da Central de Abastecimento do Paraná, Ceasa, promove um confronto com a polícia desde às 5 horas desta segunda-feira (14), em Curitiba. A Tropa de Choque foi acionada e utilizou bombas de efeito moral e balas de borracha contra os manifestantes, que revidaram utilizando pedras e ateando fogo em vários setores dos armazéns. O protesto é contra a abertura da Ceasa às 5 horas, o que é considerado muito tarde pelos comerciantes, que pedem a volta da abertura às 4 horas. O trânsito na BR-116 nos dois sentidos permaneceu totalmente interditado desde as primeiras horas da manhã, sendo liberado o sentido Curitiba apenas por volta das 9h. No sentido Fazenda Rio Grande, o bloqueio continua.

O protesto é feito por pequenos comerciantes  que consideram tarde a abertura da Ceasa às 5 horas. Até o dia 4 de janeiro, a Central funcionava desde as 4 horas.  “Não temos como trabalhar neste horário. É muito tarde. Tenho que abrir meu comércio tarde todos os dias porque meu comércio é longe daqui. É um desrespeito”, diz um dos comerciantes, sem se identificar.

Outra reclamação dos comerciantes é com relação as multas da Linha Verde. “Meu caminhão está cheio de multa porque só posso trafegar até as 7 horas. Das 7 às 10 horas, qualquer caminhão que trafega na Linha Verde leva multa. Não dá tempo de abastecer e chegar no comércio antes das 7 horas, abrindo as 5 horas. Já perdi minha carteira de habilitação de tanta multa”, diz outro comerciante.

Um carro da Ceasa, ligada ao Governo do Paraná, foi incendiado. A depredação atinge principalmente o Mercado dos Produtores. Não há registro de feridos até o momento.

Outro lado

De acordo com o chefe da Ceasa, Natalino Souza, houve um amplo movimento de discussão para a escolha do novo horário envolvendo permissionários e produtores rurais e foi adotado para trazer mais qualidade de vida aos usuários e trabalhadores. “Fizemos assembleias e houve uma aprovação de 87% para adotarmos o horário de abertura às 7 horas, mas ouvimos reivindicações de feirantes que pediram para abrir mais cedo pois as feiras começam as 7 horas. Entendemos e foi aprovada a abertura às 5 horas. Mas há um grupo menor  de insatisfeitos que não aceita este novo horário e quer impor sua vontade sem o período de avaliação”, explicou à Banda B.

Segundo Souza, desde o dia 4 de janeiro, quando começou o novo horário, foi colocado que haveria um período de avaliação de 90 dias para novas adaptações, o que não está sendo respeitado. “Eles foram radicais e não esperaram o período de avaliação. Houve radicalização. Abrir às 4 horas significa que tem que abrir o box às 3h30 e isso a maioria não aceita. São poucos que querem abrir às 4 horas. Ainda assim na semana passada fizemos a proposta de fazer uma pesquisa para ouvir todos para saber quantos querem cada horário, mas estes comerciantes não aceitam porque entendem que são minoria. Mas não podemos privilegiar a minoria”, diz o chefe da Ceasa.

O representante disse que vai esperar que a Polícia tome conta da situação para poder avaliar que providências serão tomadas agora.

 

BANDAB

Receba notícias no seu WhatsApp.

Leitores que se cadastrarem no serviço serão incluídos em uma lista de transmissão diária, recebendo no celular as principais notícias do dia.

Aécio Novitski

Idealizador do Site Araucária no Ar, Jornalista (MTB 0009108-PR), Repórter Cinematográfico e Fotógrafico licenciado pelo Sindijor e Fenaj sobre o número 009108 TRT-PR

Leia também

Deixe um comentário

Botão Voltar ao topo

Notamos que você possui um
ad-blocker ativo!

Produzir um conteúdo de qualidade exige recursos.
A publicidade é uma fonte importante de financiamento do nosso conteúdo.
Para continuar navegando, por favor desabilite seu bloqueador de anúncios.