Araucária

TCE-PR suspende concorrência para coleta e transporte do lixo de Araucária

Irregularidades no edital de concorrência levaram o Tribunal de Contas do Estado do Paraná (TCE-PR) a suspender a licitação da Prefeitura de Araucária (Região Metropolitana de Curitiba) para contratação de empresa para a prestação dos serviços de coleta e transporte de lixo, no valor máximo de R$ 17.690.752,50. A cautelar foi concedida pelo conselheiro Nestor Baptista em 30 de janeiro; e homologada na sessão do Tribunal Pleno realizada nesta quinta-feira (8 de fevereiro).

O TCE-PR acatou representação formulada pela empresa Sabiá Ecológico Transportes de Lixo Ltda. em face da Concorrência nº 1/2017 do Município de Araucária. A representante alegou que houve violação à Lei nº 8.666/93 (Lei Geral de Licitações e Contratos).

Segundo a representação, as irregularidades no edital referem-se à ausência de orçamento estimado de preços em planilha aberta de composição de custos unitários, à exigência de atestado de capacidade técnica relativo ao período mínimo de 15 meses e à fixação do prazo de vigência do futuro contrato em 30 meses.

O conselheiro Nestor Baptista afirmou que o item “16.14” do edital informa que as “Planilhas Orçamentárias – Orçamento Básico” seriam encontradas no “Anexo IV” do instrumento convocatório. Mas constata-se que, como alertado pelo representante, os campos das planilhas referentes aos custos, preços unitários, impostos, encargos sociais e insumos estão em branco.

Baptista também ressaltou que há a exigência, no item “7.2.3.2.1” do edital, de que os licitantes apresentem atestado referente à comprovação de execução de serviços de coleta e transporte de lixo pelo período mínimo de 15 meses, sem que se apresente qualquer motivação por parte da administração municipal que a justifique.

O relator do processo lembrou que o Tribunal de Contas da União (TCU) tem posição firme quanto à necessidade de motivação em relação a exigência de capacitação técnica que, de alguma forma, possa cercear o caráter competitivo da licitação. Ele destacou que a exigência contestada representa cláusula de barreira à competitividade.

Finalmente, o conselheiro frisou que, na minuta do futuro contrato, há previsão de duração com números e prazos conflitantes, apesar de o item “4.4” do edital ser taxativo quanto à vigência de 30 meses do contrato.

Assim, o relator considerou necessária a suspensão da licitação no estado em que se encontra, pois foram prejudicados os princípios da isonomia e da transparência na gestão pública. Ele considerou que a continuidade do certame não representaria a busca da seleção da proposta mais vantajosa para a administração do município.

O Tribunal determinou a citação dos interessados para o cumprimento da decisão e manifestação nos autos no prazo de 15 dias.

 

TCPR

Receba notícias no seu WhatsApp.

Leitores que se cadastrarem no serviço serão incluídos em uma lista de transmissão diária, recebendo no celular as principais notícias do dia.

Aécio Novitski

Idealizador do Site Araucária no Ar, Jornalista (MTB 0009108-PR), Repórter Cinematográfico e Fotógrafico licenciado pelo Sindijor e Fenaj sobre o número 009108 TRT-PR

Leia também

Deixe um comentário

Botão Voltar ao topo

Notamos que você possui um
ad-blocker ativo!

Produzir um conteúdo de qualidade exige recursos.
A publicidade é uma fonte importante de financiamento do nosso conteúdo.
Para continuar navegando, por favor desabilite seu bloqueador de anúncios.