Brasil

Trabalhador da RMC é um dos desaparecidos de Brumadinho; família busca notícias

Um dos cerca de 300 desaparecidos da tragédia de Brumadinho (MG) é da Região Metropolitana de Curitiba (RMC). Noel Borges de Oliveira, de 50 anos, morador de Campina Grande do Sul, estava na empresa Vale prestando serviços para uma empresa terceirizada de Pinhais, a Fugro in Situ Geotecnia, contratada para fazer análise do solo na barragem. Oliveira falou com a esposa pela última vez na sexta-feira (25), por volta das 9 horas, pelo whatsapp. Desde então, está desaparecido.

“Estamos desesperados, sem notícias dele, sem saber de nada. Meu pai falou com minha mãe na sexta de manhã pelo whats e depois não atendeu mais o telefone. Só dá fora de área. A última vez que ele visualizou o whats foi às 12h17. A gente está perdendo as esperanças a cada minuto que passa”, disse a filha Luciane de Oliveira.

Segundo ela, o pai estava na empresa Vale, em Brumadinho, há dois meses, coordenando uma equipe como encarregado de obras. “Ele era o único aqui da região de Curitiba que está lá coordenando esta equipe de 5 pessoas. os outros moram lá. Tem dois tios meus na região tentando alguma resposta”, disse a filha.

Noel Borges de Oliveria é casado, tem duas filhas e um neto. Ele é morador do jardim Santa Rosa, em Campina Grande do Sul.

A Banda B procurou a empresa Fugro in Situ Geotecnia, de Pinhais, sobre o desaparecimento do trabalhador. A empresa informou que irá se manifestar em breve. A família de Oliveira informou que está recebendo assistência da empresa em que o pai trabalha.

Buscas

Um novo boletim sobre as vítimas do rompimento da barragem da Vale em Brumadinho (MG) foi divulgado por volta das 10h30 desta segunda-feira, 28. De acordo com o levantamento, o número de mortos subiu para 60, dos quais 19 foram identificados.

O balanço informa ainda que há 292 pessoas desaparecidas e 382 pessoas foram localizadas. Até o momento, 192 pessoas foram resgatadas. Os dados são da Defesa Civil, do Corpo de Bombeiros e das polícias militar e civil.

A barragem da mina Córrego do Feijão, da mineradora Vale, localizada em Brumadinho, se rompeu na tarde de sexta-feira, 25. A onda de rejeitos de minério de ferro atingiu a área administrativa da empresa e a comunidade da Vila Ferteco.

O rompimento ocorreu na Barragem 1, que foi construída em 1976 e tinha volume de 12,7 milhões de m³. Segundo a Vale, a barragem tinha encerrado as atividades há cerca de três anos, pois o beneficiamento do minério na unidade é feito à seco.

 

Banda B- 28/01/2019

Receba notícias no seu WhatsApp.

Leitores que se cadastrarem no serviço serão incluídos em uma lista de transmissão diária, recebendo no celular as principais notícias do dia.

Leia também

Deixe um comentário

Botão Voltar ao topo

Notamos que você possui um
ad-blocker ativo!

Produzir um conteúdo de qualidade exige recursos.
A publicidade é uma fonte importante de financiamento do nosso conteúdo.
Para continuar navegando, por favor desabilite seu bloqueador de anúncios.