ParanáPolícia

Motorista de app diz que passageiro se jogou na frente de carro

O motorista do aplicativo de transporte de passageiros 99pop, prestou depoimento na tarde de quarta-feira (12), no 12º Distrito Policial, em Curitiba, dando sua versão sobre o atropelamento de Jean Ricardo Martins Cavalli, de 29 anos. O condutor é acusado de atingir propositalmente a vítima, que está internada em estado grave deste o último domingo (9).

Após o depoimento, o motorista conversou com a Rede Massa, relatando que o passageiro teria se jogado na frente do veículo. “O vídeo mostra, claramente, que a direção do meu veículo, o sentido que o meu veículo vai, é longe dele. Ele que dá alguns passos e infelizmente se joga na frente do carro. Ali, naquele momento, eu já estava no momento de frenagem, mas infelizmente não teve o que fazer, ele já estava muito em cima do carro”, contou.

O acusado ainda disse que viu quando atingiu Jean, mas que não parou o carro por temer por sua integridade. “Observei que tinham pessoas ali ao redor que correram e começaram a gritar. Eu temi pela minha integridade física, e por não estar em uma velocidade alta pensei que não tinha acontecido nada de grave com ele. Vi que as pessoas foram para auxiliar ele, ele não ficou à mercê ali”.

Com relação à dinâmica do atropelamento, o condutor da 99pop disse que após ter parado para deixar Jean e sua esposa, a vítima teria chutado seu veículo. Com isso, ele decidiu dar a volta para entrar no estacionamento ao lado da via e conversar sobre o dano que o passageiro havia deixado no automóvel. Foi neste momento, conforme a versão apresentada pelo acusado, que Jean teria se jogado na frente do carro. “Ele estava completamente alterado, embriagado, e sempre querendo procurar a confusão, procurar o problema”, argumentou.

O motorista ainda disse que dentro do carro estaria sendo ofendido e ameaçado por Jean. A discussão teria iniciado depois que o passageiro vomitou no veículo e o condutor exigiu o pagamento para higienizar o automóvel. “A esposa dele, que estava sóbria, pagou o valor da higienização do carro, que é o valor que as empresas repassam para o motorista, ou pelo menos deveriam passar. Ela pagou esse valor e já estava solucionado o problema”.

Defesa

O advogado do motorista, Igor José Ogar, disse que o depoimento do cliente foi demorado, mas muito positivo. “Os posicionamentos dele [o motorista] foram muito claros, e não demonstram, de modo algum, o interesse em ferir a integridade física do passageiro”, pontuou.

Investigação

Até o momento, foram ouvidas a esposa de Jean, que estava no carro junto com o marido, e outras testemunhas, que presenciaram o atropelamento. De acordo com a delegada responsável pelo caso, Patrícia Conceição Nobre Paz, a polícia ainda irá analisar laudos do Instituto Médico Legal e realizar diligências para apurar algumas controvérsias.

Estado de saúde do passageiro

Jean foi socorrido em estado grave e está internado desde o dia do atropelamento. A vítima ainda foi submetida à uma cirurgia de emergência, devido à pressão intracraniana.

 

 

Massa News- 13/12/2018

Receba notícias no seu WhatsApp.

Leitores que se cadastrarem no serviço serão incluídos em uma lista de transmissão diária, recebendo no celular as principais notícias do dia.

Leia também

Deixe um comentário

Botão Voltar ao topo

Notamos que você possui um
ad-blocker ativo!

Produzir um conteúdo de qualidade exige recursos.
A publicidade é uma fonte importante de financiamento do nosso conteúdo.
Para continuar navegando, por favor desabilite seu bloqueador de anúncios.