Redação

Presídio recebe 52 presos com sarna e agentes temem que surto de espalhe

O Sindicato dos Agentes Penitenciários do Paraná (Sindarspen) solicitou nesta quarta-feira (13) que o Departamento Penitenciário do Paraná (Depen) providencie imediatamente uma força-tarefa de saúde para conter a possibilidade de proliferação de sarna na Casa de Custódia de Piraquara (CCP), na Região Metropolitana de Curitiba. A Casa de Custódia recebeu nesta semana 52 presos contaminados com sarna que estavam na Delegacia de São José dos Pinhais, na região metropolitana, onde houve um surto da doença. No ofício, o sindicato propõe que a Secretaria de Estado da Saúde seja acionada.

A preocupação é que a doença chegue aos agentes, que poderão contaminar seus familiares e outros presos da unidade. Na última segunda-feira (11), 52 presos foram transferidos da delegacia após a constatação de surto de sarna, mas, segundo o sindicato, o problema agora pode se espalhar pelo presídio, em Piraquara.

“Apesar do isolamento dos 52 transferidos, a chance de contaminação para os agentes penitenciários é enorme, já que contingente que faz a movimentação dos presos isolados é o mesmo que faz a movimentação dos outros 1,5 mil presos que já estavam no local. Na CCP, trabalham cerca de cem agentes, divididos em três equipes”, afirma o sindicato.

O Depen informou que todas as unidades já dispoe de atendimento de saúde e que diversas medidas foram tomadas para conter a proliferação. “O Departamento Penitenciário informa que todas as providências necessárias já foram adotadas. Todos os presos transferidos da Delegacia de São José dos Pinhais para a Casa de Custódia de Piraquara (CCP) foram isolados do restante da massa carcerária, receberam atendimento médico e são acompanhados diariamente pela equipe de saúde da unidade prisional. Ainda, todos os agentes penitenciários lotados na Casa de Custódia, assim como os demais presos, receberam medicação preventiva. A Secretaria da Saúde já foi informada, por meio da Superintendência de Atenção à Saúde, e também acompanha o caso.”, diz em nota.

Lotação

A delegacia de São José dos Pinhais tem capacidade para abrigar apenas oito presos, mas constuma abrigar 50 pessoas. De acordo com o Conselho da Comunidade, a carceragem já deveria estar fechada. A Secretaria de Estado da Segurança Pública reconheceu em nota que descumpriu determinações da Vigilância Sanitária, mas afirma que ainda está em tratativas com o Ministério Público para verificar a melhor forma de solucionar a questão.

Os 52 presos transferidos – entre eles, duas mulheres – agora aguardam uma vaga no sistema prisional. Considerando apenas as unidades administradas pelo Depen-PR, a superlotação atual é de 2.901 vagas. São pouco mais de 21 mil detentos no Estado, que tem a capacidade para abrigar 18.515 pessoas.

A Casa de Custódia de Piraquara, para onde os 52 presos provisórios foram levados, também opera acima da capacidade. Na contagem deste domingo (10), a CCP registrou a presença de 1,5 mil presos que estão em local construído para abrigar, no máximo, 1.332 pessoas.

 

Bem Paraná

Receba notícias no seu WhatsApp.

Leitores que se cadastrarem no serviço serão incluídos em uma lista de transmissão diária, recebendo no celular as principais notícias do dia.

Leia também

Deixe um comentário

Botão Voltar ao topo

Notamos que você possui um
ad-blocker ativo!

Produzir um conteúdo de qualidade exige recursos.
A publicidade é uma fonte importante de financiamento do nosso conteúdo.
Para continuar navegando, por favor desabilite seu bloqueador de anúncios.