Paraná

Curitibanos pedem que Orçamento priorize educação

Consulta pública feita pela Comissão de Economia, Finanças e Fiscalização da Câmara Municipal de Curitiba aponta que a população da Capital quer prioridade para os investimentos em educação no Orçamento da prefeitura para 2019, de R$ 9,041 bilhões. Segundo os dados da Câmara, 31% ou quase um terço das sugestões apresentadas na consulta via redes sociais e urnas foram direcionadas a essa área, seguida de obras públicas, com 18%, e a segurança com 17%.

Ao todo foram recebidas 461 participações via redes sociais (257) e urnas físicas (182), que geraram 701 apontamentos de prioridades e 375 sugestões. Com os formulários apresentados pelo site do Legislativo e as considerações feitas na audiência da Comissão de Economia, a consulta pública atingiu 741 participações, com 988 apontamentos e 613 sugestões.

Em relação à educação, a maior parte, ou 51% pediu que o setor seja priorizado na distribuição dos recursos da prefeitura. Em seguida destacam-se as solicitações para o descongelamento do plano de carreira dos professores da rede pública municipal de ensino (42%) e a reforma de Centros Municipais de Educação Infantil (CMEIs) ou de escolas (6%).

Nas obras públicas, a maior parte das sugestões, ou 67% concentram-se na pavimentação, seguida por investimentos em infraestrutura (18%) e pedidos diversos (12%). Quanto à segurança, a maior parte dos apontamentos requer a priorização dessa área. Também se destacaram investimentos na Guarda Municipal (21%) e mais patrulhamento desse órgão nas ruas de Curitiba (6%).

As regionais Bairro Novo e Portão tiveram a maior porcentual das 741 participações, ambas com 13%, enquanto a Boa Vista teve 11%. No entanto, 21% das participações não indicam a administração regional ou bairro, já que pelas redes sociais essa informação não era exigida.

Saúde – No primeiro semestre, quando a Câmara consultou a população sobre o projeto da Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO), etapa que antecede a formulação da LOA, foram registradas 383 participações, que priorizaram a saúde (25%), a segurança (22%) e as obras públicas (16%). A consulta ao orçamento deste ano, em outubro de 2017, teve o envolvimento de 471 pessoas, cujas demandas tiveram como foco a educação (19%), a segurança (18%) e a melhorias nas ruas da cidade (16%).

“É uma complementação à apresentação já feita, em função que foram perdidos alguns dados e abrimos um novo prazo”, explicou o vice-presidente da Comissão de Economia, Mauro Ignácio (PSB). “As sugestões feitas via consulta pública poderão ser objeto de emendas, após uma análise técnica (do colegiado)”, completou.

Segundo ele, o presidente da Comissão de Economia, Thiago Ferro (PSDB), representava a Câmara em uma atividade externa. “Naquele momento (dia 31 de outubro) não tínhamos todas as consultas (pelo site). A gente fez questão desta apresentação pela transparência”, acrescentou o presidente da Câmara, Serginho do Posto (PSDB). Ele destacou que a consulta pública ao orçamento é importante para “orientar e sinalizar as demandas da sociedade”.

Cronograma – A partir do próximo dia 27, abre-se o prazo para que os vereadores apresentem emendas à proposta do Executivo de Orçamento para o ano que vem. A votação das emendas em plenário está prevista para os dias 17 e 8 de dezembro.
Cota – A cota para a apresentação das emendas coletivas e individuais ao orçamento de 2019 ainda não foi definida. No ano passado, os 38 vereadores dividiram um montante de R$ 30,4 milhões, parte da reserva de contingência do Executivo. Apesar de não ter sido formalizada uma cota por parlamentar, eles adotaram uma média de até R$ 800 mil em proposições. Em 2017, o valor havia sido estipulado em R$ 700 mil.

Internet
Câmara vai transmitir licitações ao vivo

A Câmara Municipal de Curitiba anunciou que vai passar a transmitir as licitações da Casa para a contratação de bens e serviços, em tempo real, pela internet. A estreia do novo sistema será na próxima segunda-feira, quando a instituição licita a reforma dos 39 banheiros da sede do Legislativo– um total de 315,83 metros quadrados.

A justificativa da concorrência explica que os espaços são antigos e desperdiçam água tratada, motivos pelos quais as obras são necessárias. Nos banheiros serão instalados registros antivandalismo. O custo máximo para a contratação dos serviços é de R$ 583.448,70.

O primeiro-secretário, Bruno Pessuti (PSD), explicou que as licitações serão transmitidas ao vivo pelo canal da Câmara no YouTube ou pelo Facebook. “Basta o cidadão se cadastrar no canal ou curtir a página para que todas as vezes que entramos ao vivo ele receber uma notificação”, disse. Na segunda, como a sessão plenária é transmitida pelo YouTube, a licitação serpa transmitida pelo Facebook.

“Também inauguraremos em breve um novo Portal da Transparência, no qual o cidadão encontrará qualquer informação da administração da CMC em cinco cliques”, disse o presidente da Câmara Serginho do Posto (PSDB). “Era uma das nossas propostas quando começou a gestão”, lembrou ele, sugerindo que a medida seja adotada por outros órgãos públicos. “É uma decisão pioneira (transmitir ao vivo as licitações)”, afirmou.

 

Bem Paraná- 16/11/2018

Receba notícias no seu WhatsApp.

Leitores que se cadastrarem no serviço serão incluídos em uma lista de transmissão diária, recebendo no celular as principais notícias do dia.

Leia também

Deixe um comentário

Botão Voltar ao topo

Notamos que você possui um
ad-blocker ativo!

Produzir um conteúdo de qualidade exige recursos.
A publicidade é uma fonte importante de financiamento do nosso conteúdo.
Para continuar navegando, por favor desabilite seu bloqueador de anúncios.