ParanáPolícia

Funcionária e mãe de dono de asilo são presas temporariamente por morte de idosa

Uma funcionária e a mãe do dono de um asilo, localizado em São José dos Pinhais, foram presas na noite desta quinta-feira (20), durante a investigação da morte de uma idosa dentro do estabelecimento. A prisão temporária foi expedida após uma solicitação da Polícia Civil, por conta da divergência entre os depoimentos dos envolvidos no caso.

O laudo do Instituto Médico Legal (IML) apontou que a idosa, identificada como Malvina, de 85 anos, foi agredida com 16 golpes na cabeça e no tórax. A vítima ainda teve lesões no crânio e fraturas no corpo.

De acordo com o filho da idosa, o proprietário do asilo afirmou que a vítima se automutilou e, em determinado momento, chegou a agredir a mãe do dono do estabelecimento, que teria caído e torcido o tornozelo. A versão, porém, não convenceu a família da vítima, que acredita que a idosa foi agredida dentro do local.

E foi justamente a divergência no depoimento dos acusados – a cuidadora da vítima, o dono do asilo e sua mãe – que levou a Polícia Civil a solicitar a prisão temporária de 30 dias do trio. Nas versões apresentadas à polícia, os envolvidos disseram que a vítima caiu da cama, depois afirmaram que a idosa se automutilou e, por fim, relataram que outra paciente agrediu a vítima até a morte.

A cuidadora e a mãe do dono do asilo foram localizadas e presas ainda na noite desta quinta-feira. O proprietário do local, porém, não foi encontrado e está foragido. A prisão, de acordo com o delegado responsável pelo caso, servirá para que os três sejam ouvidos novamente e esclareçam os fatos.

 

 

Massa News

Receba notícias no seu WhatsApp.

Leitores que se cadastrarem no serviço serão incluídos em uma lista de transmissão diária, recebendo no celular as principais notícias do dia.

Leia também

Deixe um comentário

Botão Voltar ao topo

Notamos que você possui um
ad-blocker ativo!

Produzir um conteúdo de qualidade exige recursos.
A publicidade é uma fonte importante de financiamento do nosso conteúdo.
Para continuar navegando, por favor desabilite seu bloqueador de anúncios.