Paraná

Mulheres ganham, em média, R$ 400 a menos que os homens no Paraná

AEN

 

Dados divulgados pelo Ministério do Trabalho nesta sexta-feira (23) mostram que as mulheres ganham, em média, R$ 400 a menos que os homens no estado do Paraná. O salário médio dos homens, segundo a Relação Anual de Informações Sociais (Rais), foi de R$ 2.629 em 2015, contra R$ 2.206 das mulheres, uma diferença de 19%. De acordo com o governo do estado, o Paraná reduziu a desigualdade salarial. Em 2010, essa diferença era de 23%.

desigualdade

Foto: AEN

Segundo o governo do estado, o Paraná tem hoje a menor disparidade de salários entre os sexos do Sul e do Sudeste. No Rio Grande do Sul, os homens ganhavam, em média, 21% mais do que as mulheres em 2015. No Espírito Santo, essa proporção era de 22%, Minas Gerais (24%), Rio de Janeiro (24%), São Paulo (24%) e Santa Catarina (26%).

“Mesmo com o crescimento do salário médio em geral, a diferença vem caindo. Isso pode ser explicado por uma mudança estrutural registrada nos últimos anos. As mulheres, especialmente as jovens, têm mais anos de estudo do que os homens, o que tem se refletido em maiores remunerações. Esse avanço é muito saudável porque as mulheres sempre tiveram salários menores do que os homens”, diz Julio Suzuki Júnior, diretor-presidente do Ipardes (Instituto Paranaense de Desenvolvimento Econômico Social).

Entre 2010 e 2015, o salário médio das mulheres no Paraná subiu 63,7% – de R$ 1.317 para R$ 2.206 – contra uma evolução de 58,8% dos homens, de R$ 1.656 para R$ 2.629.

De acordo com Suzuki Júnior, essa desigualdade deve reduzir ainda mais nos próximos anos. O economista lembra, contudo, que alguns fatores, como a preponderância da mão de obra feminina no trabalho doméstico e a maior incidência de jornada de trabalho de seis horas entre as mulheres ainda pressionam para baixo o salário feminino.

Maiores salários

O levantamento do Ipardes com base na Rais também mostra as áreas que lideram a remuneração da mão de obra feminina no Estado. No ano passado, o setor de eletricidade e gás foi a que pagou os maiores salários para as mulheres, com remuneração média de R$ 5.558.

Em segundo lugar ficou a atividade financeira, seguros e serviços relacionados, com R$ 4.519, em terceiro educação (R$ 3.364), em quarto lugar administração pública, defesa e seguridade social (R$ 3.331) e serviços de água, esgoto, atividade de gestão de resíduos e descontaminação na quinta colocação, com R$ 3.152.

Na outra ponta, os menores salários para as mulheres estão na agricultura, pecuária e produção florestal, pesca e aquicultura, com R$ 1.313; alojamento e alimentação, com R$ 1.251; e serviços domésticos, com R$ 994.

Receba notícias no seu WhatsApp.

Leitores que se cadastrarem no serviço serão incluídos em uma lista de transmissão diária, recebendo no celular as principais notícias do dia.

Aécio Novitski

Idealizador do Site Araucária no Ar, Jornalista (MTB 0009108-PR), Repórter Cinematográfico e Fotógrafico licenciado pelo Sindijor e Fenaj sobre o número 009108 TRT-PR

Leia também

Deixe um comentário

Botão Voltar ao topo

Notamos que você possui um
ad-blocker ativo!

Produzir um conteúdo de qualidade exige recursos.
A publicidade é uma fonte importante de financiamento do nosso conteúdo.
Para continuar navegando, por favor desabilite seu bloqueador de anúncios.