EducaçãoParaná

Após massacre em Suzano, segurança em escolas do Paraná será reforçada com PMs da reserva

O governador Carlos Massa Ratinho Junior lança nesta sexta (15) o programa Escola Segura, que prevê uma série de medidas preventivas e protetivas de segurança que serão executadas na rede estadual de ensino. O pacote vem logo depois o massacre que deixou deixou dez mortos  na escola estadual Raul Brasil, em Suzano, em São Paulo.

Uma das medidas que serão anunciadas será a contratação de 120 policiais militares da reserva para reforçar a segurança nos colégios, que não são atendidos pelo Batalhão da Patrulha Escola Comunitária (BPEC), criado por meio do decreto estadual nº 2.349 em 19 de março de 2008 com o objetivo de atender as demandas de segurança pública envolvendo a comunidade escolar.

Para fazer o anúncio oficial e detalhar melhor o programa, Ratinho estará ao lado dos secretários Renato Feder, da Educação, Luiz Felipe Carbonell, da Segurança Pública, e Ney Leprevost, da Justiça, Família e Trabalho.

A Avaliação Nacional do Rendimento Escolar (Prova Brasil) identificou no Paraná em 2015 foram 224 casos de alunos armados na escola, contra 217 em 2017 (redução de 3,12%).

Medianeira
Em setembro do ano passado por pouco o Paraná não se tornou palco de uma tragédia. No dia 28, um adolescente de 15 anos entrou armado no Colégio Estadual João Manuel Mondrone, em Medianeira, no Oeste paranaense, e atirou contra colegas de classe. Dois alunos, de 15 e 18 anos, ficaram feridos.

 

Bem Paraná

Receba notícias no seu WhatsApp.

Leitores que se cadastrarem no serviço serão incluídos em uma lista de transmissão diária, recebendo no celular as principais notícias do dia.

Leia também

Deixe um comentário

Botão Voltar ao topo

Notamos que você possui um
ad-blocker ativo!

Produzir um conteúdo de qualidade exige recursos.
A publicidade é uma fonte importante de financiamento do nosso conteúdo.
Para continuar navegando, por favor desabilite seu bloqueador de anúncios.